A TECNOLOGIA NO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO: CONHEÇA AS TENDÊNCIAS

Agricultura

,

Tecnologia da Informação

,

Agronegócio

A TECNOLOGIA NO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO: CONHEÇA AS TENDÊNCIAS

Techedge | Set 09, 2020

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o agro é o único setor da economia em crescimento na pandemia. Uma reportagem mostra que a área cresceu 1,9% no primeiro trimestre de 2020, em relação ao mesmo período de 2019.

Mesmo com a pandemia, o PIB do setor de agronegócio brasileiro deve ter alta de 2,5% em 2020. Além disso, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), o agronegócio é responsável por 42% das exportações brasileiras, atingindo US$ 102 bilhões em 2018.

A relação entre tecnologia e agronegócio faz com que mais resultados positivos sejam alcançados no setor. É por esse motivo que conhecer as tendências na área é tão relevante! Siga a leitura e veja mais informações sobre o assunto!

QUAL A IMPORTÂNCIA DA TECNOLOGIA PARA O AGRONEGÓCIO?

Quando falamos em tecnologia no agronegócio, é importante lembrar que estamos nos referindo a todas as melhorias que podem ser geradas com esse investimento

A inclusão de recursos tecnológicos no campo pode auxiliar em diversas frentes, como a otimização da plantação, o controle de pragas, melhorias nas técnicas do plantio, etc.

BENEF´ÍCIOS DA TECNOLOGIA NO AGRONEGÓCIO

Ao trabalhar com diversos clientes do segmento pudemos observar algumas vantagens obtidas por eles em seus processos de negócios. São eles: 

  • Gestão de ordem de compras; O desenvolvimento de aplicativos móveis, usando a tecnologia Fiori da SAP, pode ser utilizado para que os processos de compra se tornem mais rápidos e eficientes. Dessa forma, é possível que o gestor tenha uma visão ampla de sua fazenda, realizando o controle das ordens de compra segundo as necessidades do estoque de alimentos para animais e insumos agrícolas necessários, por exemplo.
  • Gestão de produtores; Os empresários do segmento que investem na tecnologia em agronegócio também podem desenvolver uma aplicação com Neptune Software, que permite aos técnicos agrícolas trabalhar por meio dos seus dispositivos móveis. Com esse aplicativo, é possível gerenciar o relacionamento com os produtores terceirizados e, dessa forma, ter uma visibilidade global e holística de suas visitas e tarefas.
  • Gerenciamento de receita e forecast; A implementação de uma solução para melhorar o processo e reduzir o tempo de atividades orçamentárias e de forecast também é uma medida que pode ser tomada ao investir em tecnologia no agronegócio, a fim de consolidar dados estatutários e gerenciais. Por meio desse recurso é possível consolidar dados de forma mais rápida, com mais detalhes e acuracidade. A gestão de receita e forecast é, portanto, otimizada. 
  • Automação de tarefas repetitivas com RPA; O Robotic Process Automation (RPA) também pode ser implementado quando se investe em tecnologia da informação no agronegócio. Com esse recurso, os empresários do setor agrícola poderão automatizar tarefas repetitivas e maçantes e que geralmente resultam em muitos erros. A emissão de notas fiscais, entrada e saída de produtos em estoque, entre outras atividades repetitivas podem ser automatizadas com o uso de ferramentas de RPA, gerando mais agilidade e reduzindo os erros.

AS 6 TENDÊNCIAS TECNOLÓGICAS DO AGRONEGÓCIO

mobilidade-agroEm 2017 o agronegócio representou um crescimento de 6% e uma contribuição para o saldo positivo na balança comercial brasileira de quase US$ 90 bilhões.

Conhecer as tendências tecnológicas é importante para que os melhores investimentos sejam realizados em sua empresa. Veja a lista que preparamos com as principais delas, e escolha a tecnologia que te melhor te auxiliará:

  1. Equipamentos autônomos;

    A tecnologia da informação no agronegócio está presente em várias vertentes e uma das principais são os equipamentos autônomos. Tais itens começam a ganhar forma e estão presentes em algumas fazendas e feiras do setor. Os tratores autônomos, por exemplo, fazem todo o "trabalho" sozinho, sem a presença de operadores humanos. As máquinas são guiadas por GPS e podem ser controladas por um smartphone. Quando os equipamentos autônomos estiverem sendo utilizados, o trabalho nas propriedades rurais poderá ser feito durante 24 horas.

  2. BIG DATA;

    Quando pensamos em Big Data, pensamos que é um recurso que só pode ser aplicado em empresas de outros segmentos. Na relação tecnologia x agronegócio ele também se aplica, uma vez que os dados podem ajudar os gestores a tomarem melhores decisões. O uso de softwares de gestão, como o SAP S/4HANA, geram relatórios com dados que podem servir como insights para reduzir o custo das produções agrícolas, melhorar a gestão da propriedade como um todo, tornar as fazendas mais sustentáveis, etc.

    O projeto de pecuária sustentável em Paragominas, por exemplo, através de uma produção mais sustentável, conseguiu aumentar a produtividade e o lucro de suas fazendas e obter melhores indicadores de remuneração, capacitação e outros investimentos. O nível de satisfação média com indicadores socioeconômicos foi maior, calculando 21 pontos percentuais acima das outras fazendas avaliadas (65% versus 44%), enquanto os itens de maior satisfação (de 78% a 93%) foram moradia, salário, e comunicação e lazer.

  3. Genética e Biotecnologia;

    Os pesquisadores da área de genética e biotecnologia também desenvolvem recursos que ajudam a revolucionar o agronegócio, tal como: modificações nas sementes para plantação e desenvolvimento de pesticidas que não agridem o meio-ambiente e não fazem mal para os consumidores. O portal Agrolink, por exemplo, mostrou em uma reportagem a primeira soja resistente a lagartas e tolerante a três tipos de herbicidas. De tal maneira, ao plantar essa cultura, o produtor rural terá menos desperdício, tendo em vista que as pragas não atacarão a produção.

  4. Sensores;

    O uso de sensores já vem sendo feito por produtores rurais brasileiros e deve se intensificar nos próximos anos. Por meio desse recurso, atividades podem ser controladas a distância, trazendo mais praticidade para os profissionais que cuidam das plantações. Através dos sensores é possível controlar sistemas de irrigação pelo celular, por exemplo. De tal maneira, basta acionar o recurso para que as plantações sejam irrigadas no tempo desejado. Em dias de chuva, onde as culturas já são irrigadas de forma natural, os sensores fazem a identificação dos pontos molhados e não disparam a água nas plantações.
    Os sensores também podem servir para caracterizar as propriedades do solo, coletando informações como o pH e nível de nutrientes. Assim, os técnicos agrícolas saberão qual é o melhor produto ou fertilizante a ser aplicado em cada área.
  5. Drones;

    Assim como os sensores, outra grande tendência de tecnologia para o agronegócio são os drones. Com ela, os fazendeiros podem ter uma visão ampla de suas propriedades (inclusive com programações específicas para sobrevoar e fazer imagens). Se for observado, por exemplo, que em algum ponto da propriedade há a presença de pragas, será possível tomar as medidas cabíveis o mais rápido possível e evitar a proliferação da praga e consequente prejuízo.
  6. Sistemas de gestão;

    Não poderíamos falar na tecnologia em agronegócio sem citar os sistemas de gestão. Afinal, esse é o tipo de recurso que mais é utilizado e tem crescido nas agroindústrias brasileiras. Assim como acontece em empresas dos mais variados segmentos, os softwares de gestão podem otimizar tarefas, permitir uma visão ampla do negócio e facilitar os trabalhos realizados. Também é interessante lembrar que, quando o sistema de gestão é armazenado em nuvem, o acompanhamento das atividades pode ser feito em qualquer local, ou seja, o gestor do negócio poderá ver como estão sendo desenvolvidas as atividades que administra até mesmo quando estiver em viagens ou fora da sede administrativa da agroindústria.
produtividade-colheita

A PRODUTIVIDADE NO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

O investimento em tecnologia proporciona mais produtividade para o setor do agronegócio. Segundo uma reportagem publicada no Jornal Contábil, quando os recursos tecnológicos são utilizados em agroindústrias brasileiras o desempenho chega a ser superior aos principais competidores mundiais. A produtividade da soja, por exemplo, no período 2017/2018, teve uma média geral de 2,74 toneladas por hectare.

No Brasil, a produtividade da soja chegou a 3,47 toneladas por hectare, no mesmo período. Boa parte desse número animador está relacionado ao investimento que os produtores brasileiros estão fazendo em tecnologia para o agronegócio. Os Estados Unidos, sendo principal concorrente no mercado da soja, obteve produtividade de 3,31 toneladas por hectare, um número 5% inferior ao alcançado pelo Brasil.

Desta forma, a mesma matéria explica que a tecnologia em agronegócio têm se desenvolvido no país e que os bons números conquistados são frutos disso. Uma pesquisa apresentada mostra que já existem mais de 135 Startups voltadas para o mercado agro e que esse número está em plena expansão. De tal modo, o uso de soluções como satélites, inteligência artificial, big data, drones, entre outros têm se intensificado e os resultados são visíveis.

O Brasil é um país em que o agronegócio é muito forte e muito disso ocorre por conta do nosso clima, que é propício para o desenvolvimento da maior parte das culturas. Com a tecnologia isso pode ser ainda mais exponencial! 

Agora que você já conheceu as tendências de tecnologia em agronegócio brasileiro e viu como são relevante para o seu negócio, impulsione cada vez mais essa tecnologia com os investimentos corretos: 

ebook-agro

Inscreva-se!