Conheça a jornada para a transformação digital na empresa

NRF

Conheça a jornada para a transformação digital na empresa

Techedge | Dez 15, 2020

 

Estudos mostram que os investimentos globais em tecnologia de transformação digital devem chegar a 2,3 trilhões de dólares até 2023. Os esforços para essa meta devem representar uma parcela majoritária do orçamento total de TI das empresas.

Segundo a Agile Elephant, a transformação digital envolve mudanças na liderança, incentivos à inovação e novos modelos de negócios, incorporando a digitalização de ativos e um maior uso de tecnologia para melhorar a experiência geral da organização.

Além disso, a  transformação digital pode referir-se desde a modernização de TI, por exemplo, no caso da computação em nuvem, até a otimização digital e a invenção de novos modelos de negócios.

Em suma, estamos falando da incorporação de tecnologias digitais nos mais variados âmbitos corporativos; mas, também de novos métodos de gestão e negócios, impulsionando uma mentalidade renovada nas empresas.

Para entender como estará o processo de transformação digital nas empresas em 2021 e qual é a jornada percorrida pelas organizações para alcançá-la, continue com a leitura!

Transformação digital das empresas em 2021

Devido a crise de 2020, muitos negócios se transformaram digitalmente a toque de caixa e encontraram diferentes benefícios  e desafios nesse processo.

Para uma análise mais amparada em dados e estatísticas, podemos recorrer ao DT Index, estudo global da Dell Technologies. A pesquisa mostrou que:

  • 89% dos líderes empresariais entrevistados afirmaram que a pandemia mostrou a necessidade da transformação digital na prática;
  • 74% deles preveem investimentos em serviços digitais sob demanda para acelerar o processo de transformação.

Além disso, segundo a consultoria IDC, o esperado é que 65% do PIB global seja digitalizado até 2022. No qual,, 60% das empresas vão investir pesadamente na digitalização da experiência dos funcionários em 2021, transformando a relação entre empregadores e funcionários.

Transformação digital nas empresas brasileiras

nrf2

A transformação digital na empresa deve acontecer  nos setores financeiros, rh e processos mecânicos.

 

Olhando para a realidade nacional, com a urgência de entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), também há previsões interessantes. A McKinsey, por exemplo, aponta que as lideranças brasileiras de grandes e médias organizações estão em um nível de maturidade digital bastante próximo do que se observa globalmente. 

Ainda sobre a pesquisa, no Brasil três práticas empresariais que conduzem à transformação digital são bem avaliadas, sendo elas:

  • Estrutura organizacional;
  • Jornada do cliente;
  • Experimentação.

Nesse cenário, as empresas líderes se destacam, mas as que fazem os primeiros esforços para se transformar digitalmente também possuem boa pontuação, conforme a consultoria. Nesta avaliação, a maturidade diz respeito a “22 práticas de gestão críticas para o sucesso da transformação digital e captura de resultado financeiro”.

Para 2021, alguns desafios deverão ser superados pelo mercado brasileiro no quesito transformação digital, entre eles: 

  • Roadmap específico de iniciativas (10% foram bem pontuados);
  • Capacidade analítica (12% executam bem);
  • Capacitação de talentos (8% pontua bem);
  • Mentalidade baseada em dados (13%).

A transformação digital é uma necessidade latente

Se há anos se fala na transformação digital como um impulso para o próximo nível nas empresas, a partir de 2021, ela se tornará mais necessária do que nunca. É possível que somente aquelas que passarem pela jornada de digitalização de seus modus operandi seguirão se destacando.

Da mesma forma, as lideranças que quiserem melhorar produtividade e lucratividade e, ao mesmo tempo, comandar o progresso, precisarão dominar o tema da transformação digital. 

Não há mais espaço para resistências a essa tendência. Mais uma vez olhando para a realidade local, temos um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A organização formada por 37 países publicou recentemente um relatório no qual faz advertências ao Brasil.

Segundo o relatório, apesar dos avanços recentes, o Brasil fica aquém do investimento em inovação digital e no nível de competências digitais na força de trabalho. E mais: pede uma melhor coordenação das políticas de transformação digital entre ministérios e agências governamentais e maiores recursos para a implementação da transformação digital no país. 

Em outras palavras, os apontamentos da OCDE nos lembram que o cenário nacional não é o mais favorável. E isso reverbera no ecossistema empresarial, fazendo com que as organizações tenham também entraves de nível estrutural com os quais lidar. 

Jornada para a transformação digital

NRF3

Na implementação da transformação digital, as empresas poderão encontrar desafios e, por isso, é essencial obter cada vez mais domínio no assunto.

É importante se questionar e entender qual é a jornada que uma empresa deve percorrer para chegar à transformação digital, além dos processos e mudanças que é preciso realizar para isso. A recomendação dos especialistas é que se comece do mais básico, escalonado até o mais complexo

A seguir, veja os movimentos necessários e os pilares da transformação digital, que vão além da tecnologia, e também dicas para otimização do processo.

Acompanhe! 

5 movimentos rumo à transformação:

  1. Início da aplicação de tecnologias digitais: invariavelmente, inicia-se de maneira pouco coordenada; buscando resolver problemas pontuais e sem diálogo com o todo organizacional.
  2. Conscientização: ganho de conhecimento, por experiências próprias e também por estímulos externos, adquirido através de debate crescente sobre o tema, intercâmbio de ideias e busca de conhecimento especializado por lideranças e liderados.
  3. Desenho inicial da estratégia e princípio da organização de esforços: busca de ajuda especializada, definição de objetivos, KPIs e métricas. Também a instituição de responsabilidades e distribuição de tarefas para pessoas-chave dentro da organização.
  4. Criação coordenada da estratégia: criação de novos modelos de trabalho, programas de capacitação, viabilização tecnológica e interlocução dos esforços de digitalização com o core business.
  5. Definição de novos modelos organizacionais e diversificação dos negócios: início da colheita de inovações alcançadas pela digitalização, seguido pela escalada de inovação, acomodando processos. Produtos e/ou serviços com estruturas horizontalizadas passam a gerar rentabilidade.

5 pilares da transformação digital

  • Cultura: entendimento e engajamento de todos os envolvidos, sem resistências à mudança ou com elas devidamente tratadas para evitar entraves. 
  • Liderança: líderes devem patrocinar a transformação digital, apontando caminhos e apoiando iniciativas que estejam dentro da estratégia da empresa. Isso inclui, por exemplo, um alinhamento de discursos entre toda as lideranças.
  • Pessoas: força de trabalho comprometida e dispondo de meios para se qualificar, além de autonomia para colocar suas habilidades em favor da estratégia. 
  • User Experience (UX): a experiência do usuário no centro de tudo, norteando processos, atividades, iniciativas etc. 
  • Parcerias: benchmarking e contratação de fornecedores especializados, além de colaboração com outras empresas e profissionais (que estão fora do ecossistema corporativo).

5 dicas para otimizar o processo

  • Alinhe a transformação digital ao modelo de negócio: toda a estratégia deve estar afinada ao core business, sob o risco de deslocar esforços e investimentos sem chegar aos resultados esperados.
  • Foque na resolução de problemas estratégicos: em vez de centrar tudo na tecnologia, é fundamental identificar e conjugar movimentos na direção da resolução dos desafios. As ferramentas vêm como facilitadoras do processo, não o contrário.  
  • Exercite a paciência e a visão de médio e longo prazo: a pressa, neste caso, pode colocar todo o trabalho a perder. Se os resultados não forem alcançados ou percebidos rapidamente, é muito aconselhável persistir. 
  • Tenha abertura para mudanças: a transformação digital não é um fim, ela é um caminho a ser percorrido. Portanto, todos os envolvidos devem estar abertos a fazer modificações com uma frequência, muitas vezes, grande. 
  • Estimule uma nova mentalidade: transformar digitalmente um negócio requer quebra de paradigmas e, em muitos casos, deixando velhas práticas e tradições.

Além das dicas, é imprescindível contar com ferramentas tecnológicas para facilitar essa implementação. E o Nimbl Ripple Framework — NRF®, pode te ajudar.

O NRF® é aplicado a fim de acelerar a digitalização e automação dos processos de negócios. Por meio dele, é possível lidar com os desafios burocráticos e de implementação.

Como você pôde ver, a transformação digital é essencial para o futuro dos negócios. E ela não é alcançada com facilidade, pois vai muito além da tecnologia, abrangendo diversos aspectos dos negócios e requerendo esforços.


Para saber mais e realizar a transformação digital da sua empresa com sucesso, conheça a fundo a abordagem NRF (Nimbl Ripple Framework), da Techedge, em um único clique.

New call-to-action

 

Você tem alguma dúvida sobre transformação digital? 

contato

Inscreva-se!