Os 6 passos do NRF para uma empresa digitalizada

Transformação Digital

,

NRF

Os 6 passos do NRF para uma empresa digitalizada

Techedge | Dez 28, 2020

Atualmente, tanto para se manter quanto para se desenvolver em um mercado cada vez mais virtual, ter uma empresa digitalizada pode sanar, pelo menos parcialmente, os problemas de desenvolvimento, organização e planejamento do seu negócio.

A transformação é complexa, mas há meios especializados de realizá-la de forma segura. Nesse artigo, você vai descobrir tudo sobre o NRF: Nimbl Ripple Framework, uma solução personalizada da Techedge para a digitalização completa e escalável do seu negócio.

Saiba como os seis passos definidos pela nossa metodologia consegue transformar totalmente seus processos, saindo do analógico e entrando no digital. Entenda, também, por quais motivos você deve se preocupar com a transformação digital o mais rápido possível. 

Boa leitura!

 

Por que digitalizar a empresa?

Antes de partirmos para as explicações sobre o NRF e como ele funciona na prática, é preciso que fique bem claro a importância da digitalização. Essa não é uma mudança rápida, mas também não pode mais ser vista como uma simples opção. No tempo em que vivemos, ter uma empresa digitalizada é essencial!

Boa parte da razão já ficou explícita em 2020, o ano no qual a humanidade mais dependeu das tecnologias. Há inúmeros exemplos de situações que exigiram a internet para continuar funcionando, desde o home office no trabalho até atendimentos médicos à distância.

Mas, mesmo sem uma pandemia impactando todos os nossos hábitos, a tendência digital estava crescendo cada vez mais. Agora, ela só se tornou ainda mais forte.

Não é à toa que diversos nomes de peso no mercado seguem se esforçando para aplicar a transformação digital corretamente. São cases como a Nissan ou Sicoob Coopercredi.

Veja, a seguir, alguns exemplos de tendências digitais que devem dominar o mercado e se tornarem obrigatórias nos próximos anos!

 

Big Data e Data Analytics

Dados são as informações mais valiosas do universo virtual. Ao mesmo tempo, são muitos e nem sempre fáceis de analisar. Por isso, aumenta a cada ano o número de profissionais e tecnologias especializadas na reunião, filtragem e análise apropriada. Isso abrange diversos departamentos, do marketing à produção, pois traz resultados claros sobre o sucesso ou não de cada ação tomada pela empresa.

 

Automação

Muitos de nós já somos clientes de serviços automatizados, o que mostra como a sociedade está facilmente se adaptando às novidades tecnológicas. Confira algumas automações para sua empresa em 2021: 

 

IA

A inteligência artificial faz parte de muitos dos demais processos citados nesta lista. Um ótimo exemplo são os chatbots, que também entram como automação de atendimento. 

Conforme a tecnologia é aprimorada, as IAs são programadas para fornecerem atendimento cada vez melhor aos usuários. A ideia é que elas se tornem mais intuitivas e resolvam cada vez mais problemas.

 

Internet of Things

A IoT é uma tendência de integração de diversos tipos de objetos à rede, com o objetivo de reduzir falhas e otimizar resultados. Ela cria uma linguagem única que una dados de diferentes aparelhos, o que torna possível o alinhamento entre eles como se fossem uma só plataforma.

Lembrando que esses são apenas alguns dos exemplos possíveis e que cada segmento do mercado pode se envolver mais com uns do que com outros. O ponto é que a digitalização é generalizada e esperada por consumidores de todos os tipos, em produtos e serviços.

 

O que é NRF e como isso torna a empresa digitalizada?

digit2Tornar sua empresa digitalizada é fundamental para dominar o mercado!

O NRF é um framework, ou seja, um conjunto de códigos pré-desenvolvidos para facilitar no desenvolvimento e implementação de novos projetos.

No campo da digitalização, o framework é o que prepara a empresa para que ela se sustente virtualmente. Essa é uma estrutura que exige muitos pontos de apoio, desde os setores mais técnicos como a programação, até posicionamentos pessoais do CEO e da equipe.

O NRF é, portanto, um framework criado especificamente com o propósito de tornar sua empresa digitalizada. No entanto, o NRF conta com um diferencial, que é a proposta exponencial, como uma onda: o primeiro impacto abre espaço para o segundo, terceiro e assim em diante.

A transformação começa com implementações básicas e continua se desenvolvendo. Simultaneamente, os negócios se estabilizam cada vez mais no mundo digital.

 

Conheça os 6 passos do NRF para a empresa digitalizada

Nosso framework atua em seis frentes. São como pilares, cada um com sua importância para garantir a segurança e eficácia da estrutura como um todo. Conheça um pouco mais sobre todos eles:

 

1. Mindset digital

O primeiro passo para tornar sua empresa digitalizada não começa com os equipamentos ou processos, mas sim com a mentalidade da equipe.

Pode parecer simples, mas esse é um passo fundamental que muitas vezes é esquecido pelas empresas. Por trás de todas as novidades, estarão pessoas, e de nada adianta reconfigurar tudo ao redor delas e não reconfigurá-las também.

Isso significa que a equipe inteira, dos estagiários aos CEOs, precisam aprender a pensar tecnologicamente. Isso pode ser mais difícil para alguns, dependendo de fatores como formação tradicional, local de crescimento e idade. 

As diferenças geracionais costumam ser identificadas nesse momento, mas não são regra: cada caso é único. Por isso é tão importante contar com o apoio do NRF para realizar esse ajuste de forma personalizada.

 

2. Tecnologias exponenciais

Na década de 1960, Gordon Moore, cofundador da Intel, desenvolveu um conceito que passou a ser conhecido como Lei de Moore: de que o poder computacional tem uma tendência histórica a duplicar a cada 18 meses. No NRF, é usado esse conceito para impulsionar o crescimento empresarial. 

Neste sentido, usa-se a geração de valor em uma curva exponencial. É aplicado a escalabilidade em cima de uma série de ações, que vão desde a digitalização de processos em si, até a disrupção, quando o novo método abala uma estrutura que estava consolidada até então.

 

3. Ecossistemas digitais

Um dos pontos principais para se ter uma empresa digitalizada é a integração no que está se tornando a realidade do mercado. Um ecossistema digital é exatamente isso: uma rede que envolve diferentes atores, cada um com seu objetivo, mas atuando de maneira integrada.

Pense nisso como uma plataforma que pode ser acessada tanto pela sua equipe quanto pelos seus fornecedores e clientes. Cada um possui um objetivo e, portanto, uma interface; mas todos estão trabalhando com os mesmos dados.

 

4. Ativos digitais

Sua empresa já possui uma série de ativos físicos, como o imóvel da sede, os computadores, materiais de escritório e demais necessidades de operação. Agora, ela deve também possuir — e cuidar de — ativos digitais.

Os ativos digitais não são tangíveis; são arquivos, códigos, sites, textos, imagens, vídeos, perfis e outros recursos que só existem virtualmente. Contudo, eles são parte do patrimônio empresarial e devem ser gerenciados como tal. É isso que vai viabilizar a transformação digital e monetizar as mudanças.

 

5. Novos modelos operacionais de TI

Chegamos ao momento da aplicação dos novos modelos utilizados na Tecnologia da Informação. Nesse passo, são implementados os processos operacionais mais atuais, que passaram a dominar o mercado nos últimos anos: automatização e nuvem.

A automatização permite que certas operações sejam automatizadas e não dependam mais da interferência humana. Isso as torna mais baratas e ágeis, a partir de inteligência artificial, que está sempre em evolução. 

Já a nuvem é algo com o qual muitas pessoas estão acostumadas ao usar sistemas, uma ideia proposta pela estratégia Cloud-first, por exemplo. É uma maneira de armazenar e usar arquivos sem depender exclusivamente de um HD físico.

 

6. Apoio e feedback do modelo tradicional de TI

Por fim, todos os passos do NRF para uma empresa digitalizada necessitam de apoio do TI tradicional. Isso significa que há especialistas em determinadas áreas que darão suporte a toda transformação, garantindo uma transição segura.

Ou seja, o NRF reforça as precauções para que nada se perca durante os procedimentos. Além disso, mesmo quando tudo estiver atualizado e correndo normalmente, a TI tradicional ainda pode atuar como apoio. Um exemplo é a combinação de recursos de nuvem com configuração interna para otimizar backups.

 

Como colocar em prática

digit3

Segurança e eficácia são essenciais para uma empresa digitalizada!

 

Aplicar todos os 6 passos do NRF exige um fluxo de ações em determinadas áreas da empresa. A ordem pode ser vista dessa maneira:

  • Fluxo cultural: mudança de mindset de toda a organização;
  • Fluxo de ideias: brainstorms e propostas;
  • Fluxo de descobertas: análises e testes;
  • Fluxo rápido: implementações.

Em cada ciclo, existem diversas técnicas para que tudo funcione. Temos como exemplos os mapas e diagramas, que são maneiras visuais de garantir a sequência de todas as fases; Business Technology Map, Digital Goal Map e Impact/Effort Diagram podem ser citados. 

Há, também, aceleradores que tornam esses fluxos mais assertivos. O NRF trabalha com metodologias consagradas para que cada etapa ocorra da melhor maneira possível. É o caso do Design Thinking, Process Mining e Onboarding digital.

Tornar uma empresa digitalizada, total e efetivamente, exige uma visão ampla e uma estrutura firme. O NRF nasceu com o objetivo de unificar todas as atividades necessárias de uma empresa, com a expertise que a Techedge entende!

 

Gostou do nosso conteúdo? Confira então os 4 pilares para a transformação digital da sua empresa!

New call-to-action


Inscreva-se!